15 Razões para usar Redis como um Cache de Aplicação

8 maio 2020 | Cache, E-book, Redis

Sem dúvida, Redis como cache de aplicações é uma boa saída para melhorar seu desempenho. Por analogia, cache é uma técnica usada para acelerar a resposta das aplicações e ajudar a escalá-las, de maneira a colocá-las, com frequência, muito próximas aos dados necessários.
Antes de mais nada, Redis é um servidor de estrutura de dados de código aberto, na memória, freqüentemente usado como um cache compartilhado distribuído (além de ser usado como intermediário de mensagens ou banco de dados). Portanto, permite uma verdadeira apátrida para processos de aplicações, reduz a duplicação de dados ou solicitações para fontes de dados externas. Então, algumas razões tornam Redis uma solução de cache ideal para cada aplicação.

O que é um cache de aplicação

Em primeiro lugar, quando um processo de uma aplicação usa uma fonte de dados externa, sua performance pode ser prejudicada pela taxa de transferência e latência da referida fonte de dados. Dessa forma, quando uma fonte de dados externa mais lenta é usada, dados acessados com frequência são movidos, o tempo todo, de maneira temporária para um armazenamento mais rápido e mais próximo, para que o aumento do desempenho aconteça.
Por isso, esse armazenamento intermediário de dados mais rápido é conhecido como cache da aplicação, um termo originário do verbo francês “cacher”, que significa “esconder”. O diagrama a seguir mostra a arquitetura de alto nível de um cache de aplicação:
Redis como Cache de Aplicação: Razões para usar

Dados de cache ausentes buscados na origem e armazenados em cache

O que há no cache?

Em síntese, o cache de uma aplicação armazena dados em que seu processo exige rapidamente durante a execução. Embora cada aplicação seja única e possa armazenar qualquer tipo de dados, normalmente seu cache seria usado para:
  • Definições de configuração;
  • Dados de localização e internacionalização;
  • Modelos e respostas parcialmente renderizadas;
  • Resultados reutilizáveis de funções intensivas em computação;
  • Dados da sessão;
  • Dados do DBMS;
  • Respostas da API; e
  • Objetos da aplicação.

Redis como um cache compartilhado distribuído

Às vezes chamado de “Leatherman of Databases”, a filosofia de design simples e flexível do Redis o torna uma escolha eficaz, que resolve uma infinidade de tarefas que exigem processamento de dados. Certamente, estruturas de dados Redis resolvem problemas de programação muito complexos com comandos simples, que são executados no armazenamento de dados, o que reduz o esforço de codificação, aumenta a taxa de transferência e reduz a latência.
Ademais, o armazenamento em cache é um dos casos de uso mais populares do Redis. Já que isso atende aos requisitos da camada de armazenamento distribuído de uma aplicação.

15 Razões para usar Redis como um Cache de Aplicação

A seguir, confira a lista das 15 razões para usar Redis como cache de aplicação:
1. Armazenamento na memória

Todos os dados no Redis são armazenados na RAM, o que permite tempos de acesso mais velozes aos dados para solicitações de leitura e gravação.

2. Otimizado para velocidade

É projetado e implementado para desempenho. Sendo escrito em ANSI C, compila em código de máquina extremamente eficiente e requer pouca sobrecarga.

3. Suporte para dados arbitrários

Os dados armazenados podem ter qualquer formato e tamanho. Redis é binário e seguro, portanto, pode armazenar de textos legíveis a binários codificados.

4. Acesso baseado em chave

É baseado no modelo de valor-chave, no qual dados são armazenados e buscados por chave.

5. Operações com várias teclas

As operações com várias teclas fornecem melhor desempenho geral em comparação à execução das operações, uma após a outra.

6. Atomicidade de operações e transações

Isso garante a integridade dos dados em cache, além de fornecer uma visão consistente dos processos que os compartilham.

7. Expiração de dados

As chaves podem ser definidas com um tempo de vida útil (TTL), após o qual expiram. Até que isso aconteça, são chamadas de chaves “voláteis”.

8. Políticas de despejo

Quando usado como cache, Redis suporta uma política de despejo configurável, acionada quando sua memória está acabando. Por isso, é possível despejar dados existentes no cache para liberar espaço para os novos.

9. Armazenamento em cache inteligente

O verdadeiro valor do Redis é fornecer estruturas e operações avançadas de dados para desenvolvedores. O “cache inteligente” explora suas propriedades exclusivas para manipular dados de maneira eficiente e otimizada.

10. Servidor de rede distribuído

É projetado para ser um servidor remoto conectado à rede. Usa um protocolo TCP leve, que possui implementações de clientes em qualquer linguagem de programação.

11. Solicitar pipelining

Reduz as penalidades incorridas durante o envio de muitos pacotes pequenos pela rede e, em casos em que as várias solicitações precisam ser enviadas ao cache sem aguardar respostas, o protocolo Redis suporta um modo de pipelining.

12. Altamente disponível

Um cache só é efetivo se estiver disponível para a aplicação. Os dados no Redis e o serviço que fornece podem ser altamente disponíveis através do uso de seu mecanismo de replicação interno.

13. Persistência de dados

Às vezes, é desejável que o cache persista os dados em armazenamento durável, quando dados em cache são relativamente estáticos ou para que a recuperação seja mais rápida devido a interrupções.

14. Clustering não compartilhado escalável

Redis pode ser dimensionado horizontalmente para atender a qualquer aumento na demanda por RAM, computação ou recursos de rede.

15. Réplicas de cache local

Redis pode ser implantado no mesmo servidor que executa os processos da aplicação para agir como um cache privado local.

Ainda temos muito mais a dizer…

Por fim, o cache distribuído é um padrão amplamente adotado para criar aplicativos robustos e escaláveis. Então, ao fornecer dados do cache, ao invés de buscá-los em dispositivos mais lentos ou recalculá-los, o desempenho geral da aplicação é aprimorado.
Sem dúvida, o cache também alivia parte da carga em fontes de dados externas e melhora a disponibilidade da aplicação durante interrupções. Certamente, Redis é um mecanismo de cache distribuído muito popular. De fato, é comprovado na produção e fornece uma série de recursos que o tornam a camada ideal de cache distribuído para aplicações.

Por fim, tem muito mais no ebook completo e gratuito “15 Razões para usar o Redis como um Cache de Aplicativo”. Aproveite para baixar e ler sempre que quiser ou consultar sempre que precisar.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This